Diário de Luiz Felipe

por  LUIZ FELIPE BRASIL SANTOS

8º. dia - 16/09 - SANTO DOMINGO DE LA CALZADA


Ontem, em Nájera, não fiz nenhum registro aqui, por preguiça. Portanto, vou referir os fatos ocorridos nas últimas 48 hs .

Saí de LOGROÑO, junto com Fernando, às 6 h 30 min., dia 15 . A saída das cidades maiores, em geral, não é bem sinalizada, e, no horário que se costuma sair, ainda é noite fechada. Conseqüência : não vimos um sinal que mandava dobrar à esquerda e seguimos em frente cerca de 1 km , até nos darmos conta de que algo estava errado. Voltamos para trás, o que nos custou, no total, aproximadamente 2 km a mais na jornada do dia, que ficou, assim, em mais de 31 km.

Felizmente, estava me sentindo bem disposto, oque nos permitiu um "pique" razoável até NAVARRETE ( a 12,9 km) . Na saída de NAVARRETE, como minhas pernas estavam ótimas ainda, acelerei o passo, distanciando-me de Fernando, que ficou para trás. Fiz o percurso NAVARRETA-NAJERA (16,2 km) em 2 h e 40 min, sem parar.

Na saída de LOGROÑO encontramos com uma moça da ESTONIA (Ruth), que está fazendo o Caminho sozinha, carregando uma mochila enorme. Depois, soubemos que ela havia se perdido no percurso, mas se achou, afinal .

Aproximadamente na metade do percurso NAVARRETE-NAJERA alcancei um galego de nome Manoel, com quem já havíamos encontrado na parada em NAVARRETE. Segui com ele, conversando até NAJERA . É um sujeito dos seus 60 anos, que caminha bastante rápido.

Em NAJERA, hospedei-me no HOTEL SAN FERNANDO (diária de aproximadamente 25 dólares) . Lá também ficaram Fernando e Ronald, além do espanhol de nome Adolfo (o outro, Antônio, desistiu por problemas nos pés).

Ronald está com uma enorme bolha no pé esquerdo (ou direito?) e, consultando um médico, foi aconselhado a não caminhar, pelo menos por 2 dias.

NAJERA é uma cidade bastante interessante, sobretudo pelo impressionante Monastério de SANTA MARIA LA REAL. Possui uma antiquíssima ponte contruída por SAN JUAN DE ORTEGA, que liga as duas partes da cidade, que é cruzada pelo Rio Narrejanailla (raso e muito limpo, com muitas trutas) .

À noite era ocasião de festa comunitária na cidade, com conjuntos tocando em praças, representações de teatro infantil, desfile de bandas, etc...

Descansando entre Santo Domingo de la Calzada e Belorado


Jantamos muito bem no hotel (com um ótimo vinho de Rioja), após o quê fui dormir cedo, como sempre, porque o dia seguinte inicia de madrugada.

Às 5 h 30 min, fui despertado, como pedira, tendo saído da cidade às 6 h 50 min (noite fechada) . Ainda havia sinais da festividade, com muitos jovens embriagados pela rua.

A saída da cidade inicia pela subida de uma forte encosta, atrás do monastério, quando senti que minhas pernas não estavam tão bem quanto no dia anterior. Ainda bem que o trecho é curto (só 20 km) até SANTO DOMINGO DE LA CALZADA . Está um pouco frio, o que faz com que use o abrigo de manga comprida. Há um vento bastante insistente.

A etapa é relativamente fácil, apesar de ter várias subidas e descidas de colinas (tipo "coxilhas"). Não encontro ninguém conhecido pelo Caminho nesta etapa. Chego ao destino após 4 horas de caminhada, com duas paradas de cerca de 20 minutos, no total. São 10 h 50 min.

Dirijo-me ao primeiro hotel que vejo e, por coincidência, encontro na portaria o Fernando, que recém havia chegado. Achei um pouco "salgada" a diária (cerca de 60 dólares) e acabei ficando em uma hospedaria de freiras, por menos de 20 dólares.

SANTO DOMINGO é uma cidade maior do que havia imaginado e sua Catedral é realmente imponente. Um monumento que vale a pena conhecer. Lá dentro, em um galinheiro suspenso, estão um galo e uma galinha, que preservam a memória da conhecida lenda local. Em uma cripta estão os restos de SANTO DOMINGO, um santo engenheiro, construtor de pontes e estradas para os peregrinos.

Hoje à tarde, após almoçar, me recolhi para a "siesta! e, surpresa, dormi profundamente até às 17 horas. Parece que estou começando a incorporar os hábitos locais. Por certo, favoreceu a tranqüilidade e o silêncio da hospedaria das freiras.

Depois da "siesta", saí a passear e encontrei com Fernando e Ronald. Demos umas voltas pela cidade e acabamos jantando em um bom restaurante local. O vinho é muito bom e relativamente barato.

Amanhã, a etapa vai até BELORADO (22,4 km).