Diário de Luiz Felipe

por  LUIZ FELIPE BRASIL SANTOS

21º. dia - 29/09 - RABANAL DEL CAMINO


Saí de ASTORGA às 08 h e 45 min . Havia sol, embora o frio fosse intenso, aumentado pelo vento .

Cerca de uma hora após, as grossas nuvens que havia no horizonte começaram a se aproximar e alguns pingos caíram. Para evitar ser surpreendido pela chuva, tratei logo de precaver-me, colocando a capa e os protetores de perna. A capa ajudou a combater o vento e reduzir o frio.

Caminhar contra o vento forte em um descampado significativamente o esforço e o desgaste físico. É como acelerar um carro com o freio de mão puxado.

Após duas paradas, cheguei a RABANAL DEL CAMINO às 13 horas (pouco mais de 20 km percorridos).

Cruz de Ferro na neblina


RABANAL é um povoado minúsculo. Diz o guia de EL PAÍS que tem 600 habitantes. O aspecto é bem medieval. Todas as casas são de pedra.

Estou hospedado em uma pousada (HOSTAL) que se situa bem na entrada do povoado. Tem apenas dois quartos, com um banheiro comum. Possui também sala de estar ( com TV) e cozinha ( com máquina de lavar roupa) . Até há pouco (são 18 horas), eu era o único hóspede. Agora, chegou um jovem casal que parece ser de alemães.

Fui jantar (voltei agora, às 21 h e 15 min) na taberna local . RBANAL é o mais perfeito cenário para um filme de lobisomem ou vampiro . Com efeito, situada na encosta de uma montanha, sua única rua é uma ladeira sinuosa. As casas, sobrados de pedra, permanentemente fechadas. A noite, escura, pois há pesadas nuvens de chuva sobre a região. Vários cachorros pela rua. Tudo compõe um cenário que dispensa qualquer trucagem e que dá asas à imaginação.