Diário de Luiz Felipe

por  LUIZ FELIPE BRASIL SANTOS

27º. dia - 05/10 - PALAS DE REI


Ontem nada registrei. Vamos aos fatos das últimas 48 horas,pois.

Na quarta-feira (04.10) saí de SARRIA às 09 horas. Antes, passei na agência dos Correios onde despachei para mim mesmo algumas coisas que não estavam sendo necessárias e que pesavam demais na mochila. Vou retirar a encomenda em SANTIAGO. O peso da mochila reduziu cerca de 2,5 quilos, o que é uma enormidade.

Mesmo assim, a jornada de SARRIA a PORTOMARIN, apesar de ter apenas 22 km, foi exaustiva. É que, além de acumular o cansaço dos dois dias anteriores, as condições do terreno eram péssimas. Muitas subidas e descidas íngremes. Ademais, o piso em geral tomado por pedras soltas, o que exige enorme atenção para evitar torções.

No mais, a neblina predominou na maior parte da jornada, que se caracterizou por perpassar o "fundão" da Galícia, cujo tom que mais marca a memória é o cheiro de bosta de gado que se faz sempre presente. Uma bucólica paisagem rural, minúsculas aldeias, gado sendo tangido, em pequenos grupos, de um lado para outro.

Finalmente, cerca das 15 horas e 30 minutos, cheguei a PORTOMARIN, através da ponte sobre o rio Miño .

PORTOMARIN é, sem dúvida, uma cidade diferente de todas até agora visitadas. Ocorre que toda ela é branca e foi construída recentemente, em 1960, estando o povoado original submerso sob as águas do rio, em razão de uma barragem. Apenas a igreja-fortaleza de SAN NICOLÁS é que sobreviveu, sendo transferida, pedra por pedra, para o novo sítio. No lado esquerdo (externo) é possível ver ainda a numeração das pedras ali postas quando foi desmontada e remontada a igreja.

Indicação do Caminho, próximo a Santiago


De PORTOMARIN saí (hoje) às 09 horas, para PALAS DE REI . Dia nublado, mas não veio a chuva e acabou com sol. Jornada tranqüila. Pés, pernas e condições gerais em bem melhores condições do que ontem. Dois fatores a colaborar : (1) o bom descanso da véspera e (2) as melhores condições do terreno, com menos subidas e descidas, além de menos pedras soltas.

Cheguei a PALAS DE REI às 15 horas, com várias paradas.

FATO A REGISTRAR : há um grupo de quatro franceses que estão fazendo o Caminho de uma forma muito peculiar. A cada etapa, um deles dirige uma camionete (RANGE ROVER) até a cidade seguinte, enquanto os demais caminham com leves mochilas. Lá pelo meio da etapa, a camionete espera pelos caminhantes e eles fazem um lauto piquenique, com bom vinho francês, queijos, embutidos, etc... Faz cerca de 3 ou 4 dias me tornei conhecido deles e tenho sido convidado para os repastos, o que me tem rendido algumas boas rodadas de vinho francês durante as caminhadas.

Sobre PALAS DE REI, nada interessante a registrar. Ao que diz o Guia, é uma cidade que já teve sua importância para o Caminho durante a Idade Média, mas que hoje não a desfruta mais. É apenas uma cidadezinha simpática.

Faltam apenas 67,5 km até SANTIAGO . Amanhã percorrerei 28,6 km, até ARZUA. Depois, serão 27,5 km até LABACOLLA. Finalmente, no domingo, os derradeiros 10,2 km , para estar às 12 horas na missa do peregrino na Catedral de SANTIAGO!