Peregrino Walter Jorge

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
O Santo Graal – XII – O Espírito (1)
Walter Jorge
Inicialmente tomamos conhecimento através do Mago Merlim quando em conversa com Sir. Percival e Sir. Galahad da seguinte frase – “A alquimia é a arte da transformação, e quando suas sete etapas forem concluídas, somente então vocês serão capazes de reclamar o Graal”.

Nos capítulos anteriores, tivemos a oportunidade de conhecermos seis das etapas mencionadas pelo Mago, faltando apenas a Sétima e última etapa.

Na etapa anterior, a Sexta etapa, o Mago nos informa sobre o Nascimento do Observador na nossa vida, nascimento esse que extingue o nosso Ego o que permitirá uma melhor observação dos nossos procedimentos, pois, sem essa percepção, não poderemos analisar, sentir, ou mesmo compreender o que é o Graal. Através de suas informações, nos deixa a antever algo mais, nos deixa a antever a existência do Espírito, o que motivou a observação de Sir. Percival:
- Isso parece muito misterioso.

Para facilitar a nossa leitura e permitir uma boa reflexão, pois já estamos em um final e prontos para entramos no verdadeiro conhecimento do que seja o Graal, dividimos essa etapa em duas partes.

Continuemos com a nossa leitura.

O Graal – um sonho ou uma ilusão

Sétima Etapa - O Espírito (Primeira Parte)

- É difícil imaginar que pudesse haver um estágio mais elevado na vida - comentou Galahad após um momento, profundamente tocado pela descrição do observador.

- Tenha cuidado com a expressão mais elevado - advertiu Merlim. - É o ego que deve se preocupar com o superior e o inferior. A meta da sua vida é a liberdade e a realização. A realização só é alcançada quando você passa a conhecer Deus tão completamente quanto Ele conhece a Ele mesmo. Vocês, mortais, estão sempre ansiosos por milagres, e eu lhes digo que o maior milagre são vocês mesmos, pois Deus lhes concedeu essa habilidade única de se identificarem com a natureza Dele. Uma rosa perfeita não sente que é uma rosa; um ser humano realizado sabe o que significa ser divino.

- Esse estado pode ser descrito? - indagou Percival.

- Ele é a sétima e última etapa da alquimia, o espírito puro. Quando ele surge, o observador descobre que os que parece ser a alegria e realização totais ainda podem se expandir. Veja bem, chegar à presença de Deus não é o final da sua busca e sim o início. Você começou na inocência, e nela você irá terminar. Mas dessa vez a inocência é diferente, porque você obteve o conhecimento completo, ao passo que o bebê só tem sentimento.

" Quando vocês forem capazes de se verem como espírito, sua identificação com o corpo e a mente deixará de existir. Ao mesmo tempo, o conceito de nascimento e morte também cessará. Vocês serão uma célula no corpo do universo, e esse corpo cósmico será tão íntimo de vocês quanto seu corpo o é para vocês agora. Isso é o mais próximo que eu consigo chegar de como um mago sente, pois mago é apenas uma outra palavra para o sétimo estágio”.

" Entendam o seguinte: para o mago, o nascimento é meramente a idéia de que 'eu tenho este corpo', e a morte é apenas a idéia de que 'eu não tenho mais este corpo'. Como os magos não estão sujeitos à ilusão do nascimento, qualquer corpo que eles assumam é visto apenas como um padrão de energia, qualquer mente como um padrão de informação. Esses padrões estão em eterna transformação; eles vêm e vão. Mas o mago está além da mudança. A mente e o corpo são como quartos nos quais a pessoa escolhe viver, mas não o tempo todo”.

" Nenhuma quantidade de pensamento ou sentimento pode aproximar ou trazer a vocês esse estado. O espírito nasce do silêncio puro. O diálogo interno da mente precisa terminar e nunca mais recomeçar, porque aquilo que deu origem ao diálogo interior, a fragmentação do eu, não está mais presente. Seu eu será unificado, e à semelhança do bebê que foi seu início, vocês não sentirão nenhuma dúvida, vergonha ou culpa. A necessidade de dualidade do ego gerou um mundo de bem e mal, certo e errado, luz e sombra. Agora vocês verão que esses opostos se mesclam. Essa é a perspectiva de Deus, porque onde quer que Ele olhe, tudo que Ele vê é Ele mesmo”.

" Se vocês sentirem que esta meta é excessivamente grandiosa ou distante, eis um segredo. Embora vocês tenham a impressão de que passam pelas sete etapas da alquimia, cada uma delas esteve presente desde o início. Na inocência estava a totalidade de Deus, como ela está no ego, na realização, na doação ou na busca. Tudo que realmente mudou foi o foco da sua atenção. Em seu ser encontra-se cada aspecto do universo, tão completo e eterno quanto o próprio universo. Mas mesmo assim o nascimento no espírito é um acontecimento tremendo. À medida que a unidade for amadurecendo, vocês se tornarão cada vez mais familiarizados com o divino, até que finalmente vivenciarão Deus como um ser infinito que se desloca a uma velocidade infinita através de dimensões infinitas. Quando essa impressionante experiência tiver lugar, ela parecerá tão simples e natural quanto se sentar aqui debaixo das estrelas, só que cada estrela dançante será vocês mesmos."

“ Como freqüentemente acontece quando os magos falam, os dois cavaleiros se sentiram transportados para o estado que ele estava descrevendo. Galaad ergueu a vista para o céu noturno e teve de repente a impressão de que podia tocar nas estrelas. Uma sensação de verdadeiramente pertencer ao mundo inundou seu coração”.

- Estamos em casa - Percival sussurrou para si mesmo.

- Não se impressionem demais - murmurou Merlim. Esses sentimentos possuem essa intensidade porque são novos para vocês. Na verdade, este é o estado natural de vocês. Estarem unidos ao cosmo, serem íntimos de todas as formas de vida, e finalmente alcançarem a união com seu próprio Ser, este é seu destino, o final da sua busca.

- No final voltaremos ao início - murmurou Galahad.

- Sim, disse Merlim. - Cada um de vocês começa com amor, passa pela luta, paixão e sofrimento, terminando novamente no amor.

“ A voz de Merlim ficou mais suave enquanto o círculo de luz ao redor deles praticamente se extinguia”.


Novamente a palavra “amor” toma parte preponderante da conversa.

Continuemos a nossa leitura sobre o “Espírito” no próximo número.
 

Enviado por Water Jorge
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003