Peregrino Walter Jorge

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Peregrinação no Brasil - 36 - Caminho do Frei Galvão (02)
Walter Jorge

            Em continuação às informações sobre o Caminho do Frei Galvão, para esse artigo iremos concluir trazendo para os nossos leitores, um resumo com as histórias das principais cidades existentes ao longo do seu percurso.

Caminho do Frei Galvão (segunda parte – final)

SUAS CIDADES

Igreja Matriz de São Bento do Sapucaí

            São Bento do Saspucaí - Localizada em plena Serra da Mantiqueira, é uma região de natureza privilegiada, possuindo rios, cachoeiras, montanhas e muito verde convivendo em uma perfeita harmonia. O primeiro bandeirante a se instalar nas redondezas da Pedra do Baú foi Gaspar Vaz da Cunha, conhecido como Oyguara.

            Em 1724, iniciando a colonização, formava-se uma vasta fazenda de criação de gado vacum, que servia também como ponto de comunicação entre as capitanias de Minas e São Paulo. Em 1800, as terras frias de São Bento causavam inveja aos sesmeiros das minas de Itajibá (hoje Itajubá) entre eles João da Costa Manso, que não media esforços para tomá-la. Nesta época o fazendeiro e fundador de São Bento, José Pereira Álvares lutou como paulista para defendê-la.

            José Pereira e a sua mulher D. Ignez Leite de Toledo, doaram a São Bento uma grande extensão de terras, com o propósito de nela se erigir uma Igreja sob a invocação deste milagroso santo “São Bento”. O povo, em procissão, transladou então uma imagem do Santo Padroeiro que existia, na antiga Capela da Guarda Velha, situada próxima a Sant´ana do Sapucaí Mirim, povoado mineiro, para o local onde hoje se ergue a majestosa Igreja Matriz de São Bento.

            A fundação da cidade data de 16 de agosto de 1832, passando para Comarca pelo Decreto n. 64 de 30 de julho de 1890, sendo seu primeiro juiz de direito o Dr. José Joaquim Albuquerque Lima. Pela Lei n. 970 de 26 de janeiro de 1967 foi criada a Estância Climática de São Bento do Sapucaí.

            O nome da cidade é composto de São Bento – padroeiro da cidade; Sapucaí – nome do rio que passa pela cidade.

Igreja Matriz de Piranguçú dedicada a Santo Antônio

            Piranguçú – A pequena e simpática cidade de Piranguçú encontra-se cercada pela Serra da Mantiqueira possuindo uma natureza excepcional, com uma fauna e flora ainda preservada.

            O primeiro dono das terras foi Felizardo Ribeiro Cardoso, as recebeu por herança em 1834 e foi responsável pela construção da primeira capela da localidade em homenagem a Santo Antônio. Em 1870 a localidade foi elevada a Distrito e, no ano seguinte, a Freguesia, desmembrando-se da Paróquia de Itajubá. Em 1923 Santo Antônio do Piranguçú passou a se chamar de simplesmente Piranguçú e teve sua emancipação em 30 de dezembro de 1962 pela Lei n. 2764.

            Hoje a cidade é animada com Torneios Leiteiros, a mesma possui a barragem da Usina Hidroelétrica de São Bernardo que é um atrativo turístico do município. Está localizada no alto de uma serra de onde se descortinam bonitas paisagens

Antigo prédio da Estação Ferroviária

            Delfim Moreira - Como a maioria dos municípios da região, sua origem está ligada à chegada dos bandeirantes paulistas, em especial à bandeira de Borba Gato, que vinha à procura de ouro. O nome Descoberto dado a princípio ao lugar, passa a ser Descoberto de Itajubá, que significa pedra amarela, cachoeira, cascata e o rio das pedras.         

            Já em 1848 a freguesia é elevada a Vila e, em 1938 a Município. A região é privilegiada e possui como atrativo turístico o Club de Campo Ninho da Águia, com cachoeiras, piscinas artificiais e naturais bem como áreas de lazer; o Mosteiro de Santa Maria de Serra Clara, dos monges beneditinos, em estilo europeu, contendo arcos, paisagens exuberante, pomares e jardins e, também o Hotel Fazenda Pousada do Barão, situada entre riachos e matas virgens, com uma rica fauna e cachoeiras.

Igreja da Congregação Cristã do Brasil em Wenceslau Braz

            Wenceslau Braz – A pacata e tranqüila cidade de Wenceslau Braz está rodeada de uma privilegiada natureza. Suas terras são ótimas para o plantio, tanto que a agropecuária é a sua principal atividade econômica. Seu nome de origem é Bicas do Meio, certamente ligada a uma das três belas cachoeiras que existem na região. Bicas de Cima e Bicas de Baixo, no atual município de Delfim Moreira, e Bicas do Meio, no atual município de Wenceslau Braz. O nome de Bicas do Meio foi dado pelo bandeirante Lourenço Castanho ao povoado que ali se formou graças à construção da usina hidrelétrica em 1931, O desenvolvimento do arraial foi se acentuando. Em 1943, Bicas do Meio foi elevada à categoria de Distrito de Itajubá, emancipando-se apenas em 1962. A mudança da denominação para Wenceslau Braz veio a ocorrer em 1964. No mês de julho, acontece a festa da padroeira Nossa Senhora de Sant´Ana.

            Guaratinguetá – Em 1628, conforme consta do primeiro Livro-Tombo da Catedral de Santo Antônio, dava-se a conhecer o povoamento destas terras por Jacques Félix e seus filhos. No dia 13 de junho de 1630, na data dedicada ao Santo Padroeiro, marca-se a fundação de Guaratinguetá, pela construção da capela erguida com paredes de taipa e cobertura em palha. Em 13 de fevereiro de 1951, com a abertura da estrada, o povoado foi elevado a Vila e é erigido o pelourinho. Guaratinguetá conforme os índios Tupi-Guaranis “local onde abundavam garças brancas”, alcança o séc. XVIII como uma das principais vilas da Capitania no Vale do Paraíba.

Praça em Guaratinguetá

            Este século reserva à Guaratinguetá, além dos períodos do ouro e do açúcar, fatos de especial significância religiosa. Nas águas do rio Paraíba pescadores encontram em 1717 a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Em 1739 nasce aquele que em 25 de outubro de 1998 torna-se o primeiro brasileiro nato beatificado pelo Vaticano: Frei Antônio de Sant´Ana Galvão. Ainda nos anos setecentos, em 57 nasce a Irmandade de São Benedito junto à Capela de São Gonçalo e a partir daí, provavelmente, inicia-se a Festa em louvor a este Santo que perdura até a atualidade.

            O povoado de Guaratinguetá foi uma das raízes do Vale do Paraíba. Ainda hoje, graças à sua força e a sua importância econômica, a cidade continua sendo uma das principais da região.

Casa onde nasceu Frei Galvão em Guaratinguetá

Passando por todas as fases do desenvolvimento do Vale, Guaratinguetá sempre esteve na liderança dos municípios próximos. Em suas terras foi encontrada a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida; no início da república Guaratinguetá deu ao Brasil um presidente: Rodrigues Alves e, hoje, dá aos devotos os milagres de Frei Galvão. Seu povo, sempre lutador e corajoso, passou por todos os períodos sem enfraquecer e, atualmente, colocam Guaratinguetá em posição privilegiada entre as cidades industrializadas situadas no Vale do Paraíba.

            Fontes consultadas: Prefeituras Municipais.

 

Enviado por Walter Jorge
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003