Peregrino Walter Jorge

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Peregrinação no Brasil - Introdução
Walter Jorge
O Brasil encontra-se de parabéns, é detentor de um vasto território que podemos dizer sem medo de errarmos, “continental”, seu povo gradativamente vem encontrando nas caminhadas um prazer cada dia maior e com isso tem descoberto não só um pouco da nossa história, como também de sua beleza natural.

Os Bandeirantes, caminhantes de outrora que desbravaram o interior do nosso país continental, estava à procura do ouro e das pedras preciosas abundantes naquela época, o nosso atual caminhante procura algo mais, vai atrás do que restou da nossa história, vai em romarias buscar alguma graça junto ao seu Santo protetor, ou como uma grande maioria o faz, em busca de um maior contato com a exuberante natureza que nos cerca.

Foram os portugueses que trouxeram a tradição das romarias para o Brasil. Nem os índios nem os africanos (com exceção dos muçulmanizados), tinham em grande conta as peregrinações. Estas peregrinações, no sertão brasileiro, constituem-se em fonte e tema de estudo folclórico e etnográfico. A “sala” ou “casa dos milagres”, com centenas de ex-votos, revelam a cultura de um povo de maneira bastante convincente.

O autor na trilha em direção a cachoeira de Maquiné - RS

Os principais centros de romaria no Brasil são: Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, em Aparecida, São Paulo; Nossa Senhora de Nazaré, em Belém do Pará; São Francisco de Canindé, em Canindé no Ceará; Bom Jesus do Bonfim, em Salvador, Bahia; Bom Jesus da Lapa, no interior da Bahia; Bom Jesus de Pirapora, em São Paulo. Há ainda outros centros menores, dentre os quais se destaca Juazeiro do Norte, onde, a cada ano, numerosos romeiros acorrem para visitar o túmulo do Padre Cícero e orar na matriz de Nossa Senhora das Dores; Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis, em Patu no Rio Grande do Norte.

A Reforma Protestante não dá nenhum valor religioso às peregrinações. Levados apenas por uma piedosa recordação, é que alguns protestantes se dirigem aos lugares santos da Palestina e da História Religiosa Cristã.

Paralelamente aos principais centros de romaria no Brasil, começa aparecer à semelhança com o Caminho de Santiago de Compostela na Espanha, vários roteiros de caminhadas, os quais podemos subdividir em: Caminhos Históricos, que são aqueles que procuram resgatar um pouco da nossa história; os de fundo Religiosos; e os que podemos dizer Ecológicos, aqueles que procuram travar conhecimento e desenvolver o gosto pelas caminhadas e a apreciação da nossa natureza.

No primeiro grupo entre outros podemos citar:

CAMINHO REAL ou ESTRADA REAL visa resgatar o primitivo caminho real que tinha como finalidade ligar a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro com as fazendas de Juiz de Fora no estado de Minas Gerais, pouso importante no caminho para as minas de ouro e diamantes no final do Brasil Colônia. O referido caminho é o maior deles, tem aproximadamente 1.410km, passa por uma série de cidades históricas que remontam e lembra a nossa era colonial.

CAMINHO DAS MISSÕES é realizado no Estado do Rio Grande do Sul, procura efetuar um contato do caminhante com a realidade do passado missioneiro, percorrendo parte das antigas estradas jesuíticas e guaranis, propícia uma integração com o atual povo das Missões, que encanta por sua hospitalidade, autenticidade e solidariedade, fazendo desta peregrinação um motivo muito forte para tornar possível à busca da “Terra Sem Males”, em um sonho realizável no interior de cada um.

CAMINHO DE ARARIBÓIA é realizado no Rio de Janeiro, tenta reconstituir o trajeto de fuga que os índios que viviam ao redor da baía da Guanabara efetuaram em duas ocasiões, no século XVI, percorrendo pelo litoral o trecho compreendido entre a baía da Guanabara até Cabo Frio.

No segundo grupo, classificamos os caminhos que têm uma ligação Religiosa, dentre eles temos:

CAMINHO DA FÉ foi criado para dar estrutura às pessoas que sempre fizeram a peregrinação ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, oferecendo-lhes os necessários pontos de apoio. O trajeto é de aproximadamente 400 quilômetros atravessando a serra da Mantiqueira e percorrendo dois estados, São Paulo e Minas Gerais.

PASSOS DE ANCHIETA, em Vitória do Espírito Santo, procura resgatar o trajeto que o Padre Anchieta efetuava nos últimos anos de sua vida, entre a vila Peritiba, atual cidade de Anchieta até à Vila de Nossa Senhora da Vitória, em Vitória, onde cuidava do Colégio São Tiago.

CAMINHO DO PADRE IBIAPINA, composto de quatro trilhas, procura refazer os caminhos percorridos pelo Padre Ibiapina nas suas peregrinações pela Paraíba, no período compreendido de 1856 a 1883.

CAMINHO OU ROMARIA DO PADRE CÍCERO é uma romaria onde os peregrinos saem em procissão da Igreja Matriz situada em Juazeiro do Norte na Bahia e seguem até a capela de Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, onde se encontra o túmulo do Padre Cícero.

No terceiro grupo é o mais numeroso, a cada dia aparece nos noticiários a criação de mais um, podemos relacionar:

CAMINHO DO SOL, caminhada realizado no interior do estado de São Paulo, nasceu com o objetivo de oferecer aos amantes de caminhadas, um ambiente agradável em contacto permanente com a natureza, na qual, possa efetuar uma busca introspectiva com o completo despojamento material.

CAMINHO DA LUZ é um caminho localizado na zona da mata mineira, precisamente na divisa com o Rio de Janeiro e o sul do Espírito Santo, o mesmo presta-se para aqueles amantes de caminhadas com um toque de alpinismo, devido ao seu trajeto bastante acidentado, pois possui uma grande variação de altitudes.

CAMINHO DA PAZ é uma caminhada de aproximadamente 165 quilômetros que tem como inicio na cidade de Amargosa, no estado da Bahia, o mesmo tem por objetivo alcançar o “Projeto Semente”, considerado como um ponto de luz nas montanhas do Vale do Jiquiriçá em Ubaíra

CAMINHO DO CIRCUITO DAS FRUTAS visa estabelecer uma nova alternativa para a divulgação do turismo regional procurando trazer para as regiões que abrange o seu roteiro, não só o caminhante brasileiro como do exterior, com a finalidade de interagir os mesmos com os habitantes da zona rural.

CAMINHO DE SÃO TOMÉ é um novo roteiro de caminhada no interior de São Paulo, procura resgatar lugares quase lendários como a Serra da Macaca no Vale do Ribeira, onde o capitão Carlos Lamarca foi caçado pelas tropas do exercito no regime militar, passa por reservas da mata atlântica e resgata ainda um trecho do Peabiru, antiga trilha indígena que ligava o oceano Pacífico ao Atlântico. O seu percurso é de aproximadamente 220km partindo de Capão Bonito até atingir o centro histórico de Iguape no litoral paulista.

CAMINHO DAS GRAÇAS é um caminho de integração municipal onde o caminhante irá desfrutar das belezas naturais das montanhas e serras de Minas Gerais. É composto de diversas trilhas, sendo que a mais longa denominada de Trilha Sul, possui aproximadamente 200km. Todas elas convergem para cidade Bom Repouso, no local onde se encontra a maior imagem de Nossa Senhora das Graças existente no mundo com mais de 20 metros de altura, situada em uma elevação de 1410m de altitude.

Não podemos deixar de aqui fazermos menção a centenas de trilhas existentes em diversos estados, as quais nos leva a tomarmos conhecimento com a beleza da nossa exuberante natureza, a exemplo, podemos citar a cidade de Lençóis no interior da Bahia, que propícia ao caminhante, um conjunto de trilhas abrangendo a beleza da Chapada de Diamantina com as suas inúmeras cachoeiras e no Rio Grande do Sul, na fronteira com o estado de Santa Catarina, onde encontramos uma das maiores reservas de cânion do Brasil.

Nos próximos artigos, iremos discorrer com mais detalhes para os nossos leitores, em separado, sobre cada um dos caminhos acima referenciados, inclusive trazendo depoimentos de peregrinos ou caminhantes que percorreram os referidos trajetos, bem como traremos informações sobre trilhas julgadas de interesse dos caminhantes, no intuído de desfrutarem da nossa beleza natural.

Aguardem.

NOTA: Agradeceríamos aos nossos leitores caso possível, que nos informassem da existência de outros Caminhos, já sendo utilizados além dos acima mencionados, para que possamos efetuar a sua divulgação.
 

Enviado por Water Jorge
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003