Peregrino Walter Jorge

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Comentários Peregrinos - Incêndio em Finisterra
Anacleto (o nordestino)
Por onde anda WJ? Sumiu..., Acredito que voltou para a sua terrinha depois que perdeu de 1x0 para a França. Não tem problema, ocuparei o seu lugar no coração dos meus adorados leitores, pois todos eles me amam, me adoram (quando WJ chegar, fiquem calados, “boca fechada não entra mosca”).

Puxa vida! Será que Zerob vai deixar mais uma vez eu bagunçar o coreto? Quem não chora não mama, tentaremos.... mas vamos às notícias.

Tentarei ocupar o meu lugar no espaço empurrando para escanteio WJ. Já disse ao cara que o melhor lugar para encontrarmos notícias são nas listas, pesquisando as mesmas descobri novamente algo para a coluna de “Comentários Peregrinos”.

Acredito que o nosso querido Santiago anda zangado, acho que os seus fieis não estão rezando corretamente e ainda tem gente que anda culpando o meu grande amigo Leonardo Da Vinci.

Vejam só o que aconteceu a um coitado peregrino belga que tentou manter a tradição de ao chegar em Finisterra, queimar algo que tenha utilizado na sua caminhada. WJ ao fazer isso quase que afugenta a população de Finisterra, foi queimar aquelas suas meias que nunca tirou dos pés durante toda a sua peregrinação, o chulé impregnado nas mesmas era tanto, que alguns habitantes do local tiveram que baixar hospital e o farol existente não conseguia atravessa com os seus raios de luz a Bruma de Avalon, perdão, queria dizer à bruma que tomou conta da região com a fumaça do seu chulé, não sei porque o mesmo não foi trancafiado no xilindró.

Local destinado a queima tradicional

Há poucos dias foi notícia no caminho da prisão de um peregrino belga por tocar fogo no que restou de suas botas em Finisterra, na tentativa de dar continuidade ao referido ritual, não é uma ficção do tipo da que Dan Brown escreveu, é uma verdade absoluta, lá estava escrito em letras garrafais.

Agentes da Guarda Civil deteve em Finisterra o peregrino belga D.L.J.S., de 37 anos, por tocar fogo a um monte quando queimava suas botas (saiu nos jornais).

“El hombre fiel cumplidor com la tradición de llegar hasta el final del periplo em tierras de Finisterre, quiso culminar, como manda la ancestral costumbre, pegando fuego al sobado calzado que durante tantas jornadas habia dado cobijo a sus maltrechos pies”.

Da sua narração aos prepostos da Guarda Civil, a mesma efetuou uma tradução verdadeiramente lírica, quando informa: “quizás em um arrebato último y ante tan flamígero final, las moléculas del Gore-Tex se revelaron contrarias al viejo rito pagano y desencadenaram uma tórrida llamarada que al bueno de D.L.J.S. le fue imposible controlar, provocando así um incêndio forestal em las inmediaciones del Faro Finisterre”
.
O detido, “aún a pesar del desastre causado y la sorpresa del momento” ajudou nas tarefas de extinção do incêndio e regressou a Compostela, onde foi detido por agentes do Serviço de Proteção a Natureza e posto a disposição judicial.

O peregrino foi julgado e posteriormente posto em liberdade, a Guarda Civil em um comunicado sobre o assunto assim conclui: “probablemente, las botas del peregrino, emulando a las de las mil léguas, tomaron vida y conciencia em la tierra de las meigas”, pois “volver a Bélgica colgadas de la mochila hubiese sido uma manera más honrosa de finalizar su singladura y a buen seguro que menos traumática para nuestro montes”.

WJ absorvendo o aroma produzido pela queima de suas meias

Que o assunto sirva de exemplo para todos os peregrinos que ao chegar a Finisterra queiram manter a tradição de queimar algo que utilizou em sua peregrinação ao túmulo do Apostolo Santiago, para isso recomendamos seguir as seguintes normas:

1 – Não queimar nada velho ou fedorento, isso é um completo desrespeito, no farol não existe nenhum “Botafumeiro” para aliviar os referidos odores;

2 – Solicitar com a devida antecedência, através petição dirigida ao Corpo de Bombeiro, as necessárias providências no sentido de que o mesmo esteja presente ao referido evento, indicando o dia, o mês e a hora;

3 – Solicitar ao Serviço de Proteção a Natureza, autorização para a referida operação, informando a natureza do equipamento a ser queimado e a completa especificação no caso da utilização de Gore-Tex;

4 – Solicitar a autorização da Guarda Civil para o evento, informando que não se trata de nenhum ato de natureza política;

5 – No caso de o peregrino necessitar dar uma maior ênfase ao evento, poderá solicitar a Prefeitura local autorização para a utilização de uns dois ou três “trio elétrico”, a serem contratados diretamente na BAHIA;

6 – No caso de alguma duvida, o peregrino poderá recorrer aos meus préstimos para efetuar o referido cerimonial, o mesmo poderá pagar em módicas prestações mensais em euros (não aceitamos nem dólares e nem reais);

7 – Não comunicar nada a WJ sobre o referido assunto, pois no momento não desejo ir para o Tibet.

Aqui para nós que o vizinho não escute, gostaria de saber qual a marca das botas utilizada pelo peregrino belga para fornecer para as tropas de Bush no Iraque.

Estarei a posto a cata de notícias nas listas enquanto WJ estiver dormindo.
Fui....

Enviado por Water Jorge
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003