Peregrino Walter Jorge

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Bodegas 14 - Bodega Vega Sicília
Walter Jorge

            Em números anteriores escrevemos sobre o aparecimento do vinho, trouxemos para os nossos leitores as principais regiões vinícolas da Espanha e no artigo anterior, apresentamos a Bodega do Marquês de Riscal, considerada uma das maiores fabricantes de vinhos na Espanha.

            Escolhemos para esse artigo um outro grande e tradicional fabricante de vinho sediado na Espanha, a BODEGA VEGA SICÍLIA pertencente atualmente à família de Álvarez sob a presidência de Pablo Alvarez.

Bodegas Vega Sicília

Localização

            As Bodegas Vega Sicília estão situadas na localidade denominado de vallisoletana de Valbuena de Duero na Espanha, em uma propriedade que contorna uma várzea que segue o curso do rio Duero. À parte norte da propriedade que possui aproximadamente 1000 hectares, limita-se ao sul com um bosque que se estende por uma encosta até chegar à planície. A propriedade conta com uma plantação de aproximadamente 250 hectares de vinhedo, abarcando praticamente 80% de variedade autóctona tinto fino o tempranillo de la Ribera e o resto, cabernet sauvignon, merlot e malbec. A composição do seu solo é argiloso-calcáreo, possuindo uma zona eminentemente argilosa e uma parte composta de aluvião.

            Bodegas Vega Sicília

            A Bodega conserva, todavia nos nossos dias, seu sombrio aspecto de mansão castelhana. Sua fachada é de ladrilhos de aspecto monacal. Em seu interior há uma capela que foi construída pelos primeiros proprietários e que leva o nome de Santa Cecília. Acredita-se que o nome da propriedade deriva-se dela.

            A família Álvarez, proprietária atual da Bodega, tem incrementado nos últimos tempos a ampliação de seus vinhedos para poder abastecer a produção dos vinhos da mesma.

Clima

            A Ribera del Duero possui um clima do tipo continental com influência atlântica. As precipitações são escassas, com uma média anual que não superam os 500 mm, concentradas especialmente na primavera e no outono. A insolação, extensa e abundante, alcança médias anuais de 2.200 horas de sol, e o rio Duero favorece as neblinas e brumas matinais que configuram uma fonte adicional de umidade.

            É um clima muito bom, não permitindo muitas enfermidades aos vinhedos devido aos fungos e insetos. Os piores inimigos desses vinhedos são as primaveras geladas e as tormentas de granizo.

Uma Pequena História

            A história dessa Bodega inicia-se em 1848 quando Toribio Lecanda, abastado de origem Vasca, compra do Marquês de Valbuena uma propriedade de 2000 hectares dedicada a atividades agrícolas e de criação de gado.

            Sua Marca Registrada

            Eloy, filho de Toribio, funda a Bodega Vega Sicília em 1864, comprando em Bordeaux 18.000 mudas de cabernet sauvignon, malbec, merlot e pinot noir, destinado a elaboração de brandy. Em 1876 na Exposição de Filadélfia, Lecanda obtém um certificado de qualidade dos seus brandies. Naquele mesmo ano consegue ser designado como provedor da Casa Real e em 1880 obtém a Gran Cruz de Isabel a Católica e assim nasceu o tinto que faria famosa a firma.

            Posteriormente a propriedade muda de dono passando para as mãos de Domingo Garramiola que passa a empregar técnicas bordalezas para vinificar, renovando as barricas de crianza e, sobretudo, dedicando grandes esforços na limpeza dos seus vinhedos.

            O duro trabalho de Txomin Garramiola deu seus frutos em 1915, com o nascimento dos vinhos excepcionais: Vega Sicília e Valbuena.  Trata-se de caldos que seguem o modelo daquela época estabelecido em La Rioja: envelhecimento prolongado em finas barricas de madeira e engarrafados segundo a chagada dos pedidos. As primeiras garrafas começaram a serem distribuídas entre a alta burguesia e a aristocracia, não como um objeto comercial. Os proprietários da Bodega ofereciam esses vinhos como presente aos bons amigos da família Assim começou a se forjar a lenda do vinho mais exclusivo da Espanha, posto que não se poderia adquiri-lo com dinheiro e sim com a amizade.

            Em 1933 vem a falecer Domingo Garramiola ficando a frente dos negócios seu colaborador Martiniano Renedo e, em 1956, Jesús Anadón se incorpora às Bodegas, para em 1982 a família David Álvarez adquirir as Bodegas e os vinhedos do empresário venezuelano Miguel Neumann. A partir desse ano a família Álvarez Mezquíriz passou a desenvolver uma política de harmonização das correntes inovadoras que exige do setor vinícola, ampliando a área de plantação dos vinhedos e o processo de modernização tanto do interior como do exterior da Bodega.

            Em 1993 Vega Sicília funda a Tokaj Oremus na Hungria e em 5 de novembro de 1992 a família Álvarez adquiri a Bodegas Alión situada em Peñafiel (Valladolid), para em 2001 adquirir a Bodegas Alquiriz. É desejo da família Álvarez a elaboração do melhor vinho em Toro, uma denominação que imprime aos vinhos corpulência, exotismo, explosão de aromas, modernidade e caráter. A estratégia desta nova Bodega e comum a todas do grupo: é impulsionar vinhos com personalidade e alta qualidade, que implicam produção de vinho limitada.

Filosofia e Personalidade

            Vega Sicília é indubitavelmente um vinho único e um dos grandes clássicos espanhóis. Sua personalidade se deriva da máxima qualidade da uva e do rigor de sua manufatura dedicada com todo amor e detalhes que tem sabido passar para seus vinhos a família Álvarez.

            A empresa elabora e comercializa três tipos de vinhos: o Valbuena 5º, o Vega Sicília Único e o Vega Sicília Único Reserva Especial. Estes dois últimos se apresentam de público com no mínimo dez anos depois de serem envasados. O compromisso desta Bodega com seus clientes é tão grande que não se engarrafa nada que não ofereça a qualidade máxima desejada.

Valbuena 5º

Valbuena 5º

                        O tinto Valbuena 5º tem uma crianza mais cortado do que o Vega Sicília Único. Trata-se de um vinho que procede de vinhas algo mais jovens e em sua composição se encontram majoritariamente tempranillo e mais merlot que cabernet sauvignon. Tem de seu irmão maior a cor cereja com uma orla alaranjada, a expressão etérea de sua graduação alcoólica e o acento de sua excelente evolução oxidativa é fruto de um carvalho bem curtido, rasgo característico dos tintos da firma. De sua própria personalidade destaca a recordação de suas variedades, com um matiz de fruto roxo maduro. Na boca tem uma estrutura mais magra que o Vega Sicília Único, porém com a complexidade da associação vinoso-afrutado.

Vega Sicília Único

Vega Sicília Único

É o vinho de referencia de Vega Sicília, ha quem o compare com o resto dos vinhos da Bodega seu brilho especial. Procede das vinhas mais velhas da propriedade e em sua composição além de tempranillo, entra mais cabernet sauvignon do que merlot. Embora seja antigo, o tinto mantém uma vivacidade proporcionada por sua boa acidez compensada com um rotundo grau alcoólico. Tem uma intensa cor de cereja madura, com a borda viva de um vinho que sempre está em sua plenitude. Seu aroma prevalece os toques tostados da madeira, com as notas avelanadas devido a sua evolução oxidativa durante seus anos em barrica. Possui amplitude de sabores de madeira incorporada, porém limpa, com taninos secos e agradavelmente amargos, junto a seu tacto de ligeira suavidade de seu álcool. É um vinho muito largo de sabor com raça.

Vega Sicília Único Reserva Especial

Vega Sicília Único Reserva Especial

É um vinho tinto que não leva nada, é proveniente da mistura das melhores colheitas e que mostra a concepção Vega Siciliano mais estável. Com esse vinho, a Bodega deseja continuar com um costume espanhol muito antigo e conjugar também o seu equilíbrio.

            O Reserva Especial apresenta um tom de cereja escuro, pleno de cor, robusto, elegante e um bouquet fino. O tempo na garrafa dá ao mesmo uma suavidade e potencia para deixar um contundente rastro na vias olfativas. Somente os melhores vinhos servem para produzir o Reserva Especial, uma mescla de anos, virtude, experiência e sentimentos. Uma eterna surpresa. Um valor sempre seguro.

            Tradicionalmente na Espanha, são poucas as bodegas que contam com um processo de engarrafamento, (a maioria vendia seus caldos a granel) elaboram dois tipos de vinhos em cada vindima: a do ano em curso e outro vinho sem uma colheita especifica, que se denomina “Reserva Especial”. Era uma mistura de caldos das melhores colheitas onde que se destacava o vinho mais representativo da Bodega.

Fonte: Bodegas Vega Sicília.

Aguardem, no próximo número iremos presentear os nossos leitores com mais um artigo sobre Bodegas na Espanha.

Enviado por Water Jorge
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003