Peregrino Walter Jorge

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Bodegas 9 - Aragón
Walter Jorge

Em continuação a nossa série de artigos sobre o vinho na Espanha, falamos sobre as Regiões de Rioja, Ribeira del Duero, Priorat e Penedés, nesse artigo trazemos para os nossos leitores mais uma região produtora de vinho, abordaremos a Região de Aragón, falando sobre a sua História, sua Geografia, Viticultura, bem como sua Vinificação.

Espanha – principais regiões vinícolas

Aragón

História

Aragon está situada no noroeste da Espanha, teve um papel decisivo na região do sul da Europa, possui aproximadamente 136 km de fronteira com a França, é a porta central da Europa. Aragon possui mais de 47.500 km2 de superfície, quase uma décima parte da Espanha.

Região de Aragón

Essa região, de grande importância histórica, teve participação decisiva na unificação da Espanha quando o seu príncipe herdeiro Ferdinando casou com a rainha de Castela, Isabel, em 1469. Quando da ascensão de Ferdinando ao trono de Aragão, esse reino uniu-se ao de Castela e ao condado da Catalunha criando o embrião da futura Espanha. A subseqüente descoberta da América, e a expulsão definitiva dos mouros, ambas em 1492, além do casamento da filha de Isabel e Ferdinando, a infanta Catarina de Aragão, com o rei da Inglaterra, Henrique VIII, desencadearam o aumento da exportação dos vinhos dessa região. Porém, enquanto outras regiões como a Rioja se apressaram a ocupar a lacuna deixada pelos vinhos de Bordeaux, então devastada pela Phyloxera, Aragón continuou a elaborar vinhos no velho estilo, com vinhas pré-phyloxéricas começando então a sua decadência no mercado. Atualmente, um forte movimento renovador está em andamento, principalmente na zona de Somontano.

Geografia, Viticultura e Vinificação

A proximidade da área produtora de Somontano com a fronteira francesa, sempre estimulou o intercambio entre essas regiões. Apenas a partir de 1974 os produtores locais reunidos reivindicaram a elevação da região à denominação de origem. O Consejo Regulador então estabelecido proporcionou inúmeros incentivos a novos empreendimentos. Empresas de outras regiões se estabeleceram em Somontano. Uma dessas companhias, a CoViSa, construiu uma vinícola experimental na vila de Salas Bajas para experimentação com cepas de uvas, porta-enxerto, solos, bem como métodos de vinificação. A partir do estabelecimento das melhores combinações desses elementos uma nova vinícola para produção de vinhos de qualidade no estilo moderno.

As cepas principais cultivadas na região são a Garnacha tinta e blanca e Macabeo, além de duas variedades locais tintas, a Moristel e a Parraleta, e uma branca, a Alcañon. Outras uvas como a Tempranillo e as francesas Cabernet Sauvignon, Merlot e Pinot Noir, entre as tintas e Chardonnay, Chenin blanc e Gewurztraminer, entre as brancas, são atualmente comuns na região. Os vinhos mais modernos utilizam cortes das variedades tradicionais de origem francesa. Entre os melhores produtores estão Alto Aragon (Enate crianza – Tempranillo 70%, CabSauvignon 30%), CoViSa (Gran Vos).

Fonte consultada: ABS – Associação Brasileira de Sommeliérs.
Aguardem, no próximo número iremos abordar uma outra região vinícola na Espanha

 

Enviado por Water Jorge
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003