Peregrino Walter Jorge

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Bodegas 8 - Penedés
Walter Jorge

No número anterior falamos sobre a região de Priorat, em continuação a nossa série de artigos sobre o vinho na Espanha, trazemos para os seus leitores, mais uma região produtora de vinho, nesse número iremos abordar a região de Penedés, falando sobre a sua História, sua Geografia, Viticultura, bem como sua Vinificação.

Espanha – principais regiões vinícolas

Penedés

História

Penedés é a maior e mais importante área demarcada para produção de vinhos (DO) na Catalunha. Situado no nordeste da Espanha, produzindo uma inovativa gama de vinhos. Próximo a Barcelona, a região sempre pôde contar com um excelente mercado para seus produtos. No século 19 foi uma das primeiras regiões da Espanha a produzir vinhos em grande quantidade, e a França, devastada pela phylloxera, foi seu principal mercado. A phylloxera atingiu Penedés em 1887, na mesma época em que José Raventos começou a estabelecer a firma Cordoniu, iniciando a produção da Cava (o espumante espanhol). As vinhas que anteriormente haviam produzido vinhos tintos semi fortificados foram replantadas com uvas brancas para a produção de espumantes. Posteriormente, Cava acabou por se constituir numa DO-Denominación de Origen própria.

Região vinícola de Penedés

Penedés sofreu uma segunda e radical transformação nas décadas de 1960 e 1970, principalmente por causa de Miguel Torres Carbo e seu filho Miguel Torres Jr., produtores na região de Vilafranca de Penedés. Eles foram os primeiros a instalar na Espanha os tanques de aço inoxidável e controle de temperatura de fermentação. Miguel Torres Jr., que estudou enologia na França, também importou e fez experiências com as da época revolucionárias varietais Cabernet Sauvignon, Pinot Noir, Chardonnay, Sauvignon Blanc., Riesling e Gewurztraminer, que foram plantadas ao lado das uvas nativas e com estas combinadas.

Outros produtores seguiram os passos dos Torres e hoje Penedés continua a ser uma das mais dinâmicas e inovadoras Regiões vinícolas da Espanha. Outro produtor digno de menção é Jean Leon que produz um Chardonnay Crianza e tintos Crianzas e Reservas com Cabenet Franc e Cabernet Sauvignon.

Geografia, Viticultura e Vinificação

A região de Penedés se ergue a partir do Mediterrâneo, numa série de degraus e se divide em três zonas distintas. A primeira delas, o Baixo Penedés, atinge altitudes de 250m e é a região mais quente, onde tradicionalmente são plantadas as uvas Moscatel e Moscatel de Alexandria, que são usadas na fabricação de vinhos fortificados. Com o declínio do mercado deste tipo de vinho, estas uvas estão sendo substituídas pela Garnacha e Cariñena, para a produção de potentes vinhos tintos.

Vinhedos de Penedés


A segunda zona, o Médio Penedés, é um largo vale, cerca de 500m acima do nível do mar, separado da costa por uma cadeia montanhosa. É a região de maior produção, fabricando a maior parte dos vinhos que são a base para a produção de espumantes de Cava. As uvas aqui utilizadas são a Macabeu, a Xarel-lo e a Parellada (utilizadas na Cava), juntamente com crescentes quantidades de Chardonnay e varietais tintas como a Tempranillo e a Cabernet Sauvignon.

A terceira zona, o Penedés Superior, tem altitude entre 500m a 800m, na base do planalto central da Espanha, e é a mais fria da região, onde algumas das melhores uvas brancas são produzidas. A nativa Parellada é a varietal mais importante, sendo a Riesling, Muscat de Alejandria, Gewurztraminer e Chardonnay também muito bem sucedidas.

O solo do Penedés é composto de argila, com predomínio de pedra calcária, além de giz e areia.

As técnicas de vinificação utilizadas são bastante modernas, principalmente nas vinícolas Torres e Raimat (esta uma das estrelas em ascensão no mundo do vinho), com uso de tanques de aço inoxidável com controle de temperatura e barris de carvalho.


Fonte consultada: ABS – Associação Brasileira de Sommeliérs.
Aguardem, no próximo número iremos abordar uma outra região vinícola na Espanha.
 

Enviado por Water Jorge
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003