Preparação do Peregrino a pé

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
21 – SINALIZAÇÃO DO CAMINHO
Walter Jorge
Você pode ficar seguro de uma coisa, é muito difícil se perder. Difícil mas não impossível. Mas não se preocupe, faz parte do caminho: esquema de encontros e desencontros; pausa para pensar; experiências com algo ou alguém. Faz parte do caminho.

Há setas amarelas espalhadas por todo lugar: chão, muretas, pedras, árvores. Em Burgos eles chegaram a pintar setas nos postes para que os peregrinos se orientassem pela cidade. As indicações são setas amarelas na maior parte do caminho e dois traços um vermelho e outro branco, em Huesca (Samport). Eram marcações interessantes pois não só diziam para onde ir como caminhos proibidos ou errados, rotas alternativas, qual o caminho em bifurcações, as vezes as setas são irritantemente vagas e o peregrino gasta um precioso tempo concluindo se elas dizem "para cá" ou "para lá".

Há também faixas confeccionadas em plástico na cor amarelas onde se lê "Caminho de Santiago" com a concha e a cruz de Santiago. Essas faixas costumavam ser distribuídas pelas Associações dos Amigos do Caminho, para que os peregrinos atualizassem um trecho mal sinalizados ou reforçassem um lugar duvidoso.

Há também a concha estilizada, encontrada como azulejo em diversos lugares de cidades pequenas. Não pense que as mesmas apontem para alguma direção, significam apenas "venha até aqui". Teoricamente do lugar onde a mesma se encontra, deve-se ser possível avistar a próxima seta.

Como regra geral as sinalizações são as seguintes:
- uma flecha amarela;
- duas faixas paralelas horizontais, uma branca (em cima) e outra vermelha em baixo;
- uma faixa amarela;
- uma vieira (concha);duas faixas paralelas horizontais, uma branca (em cima) e uma amarela (em baixo);
- um marco (com ou sem a vieira).

Os símbolos de Huesca (Samport) são:
- duas faixas paralelas verticais, uma vermelha (a esquerda) e uma branca (a direita), significa: pode seguir por aqui;
- duas faixas, uma vermelha e uma branca se cruzando, significa: que você não deveria estar aqui:
- uma faixa vermelha (na vertical) e uma faixa branca quebrada para a direita, significa: virar a direita na primeira bifurcação.

Como regra geral, lembre-se que o Caminho passa sempre em frente à Catedral ou a Igreja mais importante da cidade.

Como já dissemos, setas amarelas pintadas nos muros, nos postes, no chão e nas árvores, blocos de granito com conchas e setas esculpidas, tudo isso ajuda o peregrino, mas sem os mapas fica impossível precisar distâncias, saber o nome de todas as cidades e determinar as fontes de água e bares. Existe sempre o risco de você se perder, se isso acontecer de ficar perdido e se conseguir manter o sangue frio, lembre-se de que ser peregrino não é apenas chegar a Santiago.

Esteja atento nas bifurcações, pois nelas o peregrino pode tomar a rota errada e perder muitas vezes algumas horas para retornar ao seu ponto original onde foi cometido o erro. No caso de não encontrar uma seta amarela indicativa colocada em uma arvore ou em outro local, olhe para o chão (não existe nem arvore e nem cercas), pesquise, você pode encontrar um montículo de pedras formando uma seta indicando o caminho a seguir, peregrinos de passagem notando tal necessidade, colocaram essa marca para você, esteja atento.

O nome peregrino vem do latim "Peregrinus", significa "aquele que cruza os campos". Seus pés irão guia-lo para onde você deve ir. Seus olhos vão ver as paisagens que escolherem ver, mas o mais importante dessas tudo é que a "sua mente deverá estar onde você estiver, pois, lá estará seu caminho" (ditado sobre o Caminho).

Não há trilhas perigosas nem cães ferozes (todos os cachorros perigosos estão presos). O que existe são caminhos rurais, estradas rurais de terra, estradas rurais asfaltadas, acostamento de rodovias importantes ou então trilhas paralelas às estradas.

Você também encontrará sinalização do caminho através das placas rodoviárias existentes nas estradas. Na Galicia você encontrará um excesso de marcos, a cada aproximadamente 500 metros, existe um pilarete de concreto recordando a distância à Santiago, eles estão colocados com mais critério estético do que topográfico.

De um modo geral a travessia de uma grande cidade é um pouco cansativa, a atenção é redobrada, o peregrino interrompe a sua meditação, sua tranqüilidade é perturbada, são as ruas que devem ser atravessadas, cuidados com os carros e ônibus, se o peregrino pergunta a alguém o caminho a tomar, a maioria das respostas é de total desconhecimento, no entanto não se preocupe, quando menos se espera a informação aparece, quer pela passagem de um outro peregrino, ou pela descoberta de uma seta amarela que estava escondida pintada ao lado do meio fio longe de sua visão, ou é alguém que irá lhe avisar que você tomou a rua errada, esteja sempre atento a esses sinais amigo.

 
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003