Preparação do Peregrino a pé

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
23 – ALBERGUES, HOSTAIS, HOTÉIS
Walter Jorge

Em todo o Caminho de Santiago os albergues são conhecidos também por refúgios. Iremos encontrar refúgios dos mais variados estilos, porém, todos eles mantém a austeridade que faz parte do espírito peregrino. A maioria deles são paroquiais ou municipais e não contam com nenhum tipo de subvenção, sendo mantidos pela voluntariedade dos peregrinos e das "Associações de Amigos do Caminho de Santiago de Compostela" de todo o mundo. Embora a maioria dos refúgios seja para utilização gratuita exclusiva dos peregrinos que portam a credencial, existem uma série de gastos de limpeza, eletricidade, manutenção, etc., que para continuarem sendo empregados necessitam de pequenas contribuições. De acordo com nossas possibilidades, devemos auxiliar na manutenção dos refúgios, pensando que estaremos favorecendo àqueles que virão depois de nós. Como dizem os autênticos peregrinos amantes do caminho: "el peregrino no exige; agradece".

Consta nos guias a relação dos povoados onde existem refúgios. Esta relação é variável de acordo com a época do ano de maior afluência de peregrinos. Antes de partir para uma nova etapa, verifique quais os próximos refúgios que se encontram abertos. A prudência evita contratempos e aborrecimentos.

Mais recentemente vários "peregrinos" vêm aderindo à moda do "carro de apoio". Caminham geralmente em grupo e sem carregar absolutamente nada, pois um carro realiza este serviço. Ao chegarem no refúgio, esperam encontrar suas camas guardadas por suas mochilas que já chegaram bem antes com o carro. Isto é um absurdo. Nos refúgios não existem reservas e peregrinos com carro de apoio tampouco podem utilizá-los. Podemos dizer que as camas devem ser ocupadas por ordem de chegada e somente pelos peregrinos tradicionais. Não é justo que uma pessoa muito mais descansada, que não sente nos ombros o peso de suas necessidades materiais, ocupe a cama de um peregrino que paga com muito esforço os ensinamentos do Caminho.

Devemos levar também em consideração que os peregrinos em bicicleta têm maior facilidade para percorrer alguns quilômetros a mais. É aconselhável que procurem pernoitar em determinados albergues que possuam maior capacidade de acolhida. Albergues com poucos leitos ficam logo ocupados e certamente é mais difícil, para quem está a pé, percorrer mais um trecho para encontrar lugar para dormir.

Um aspecto importante a ser considerado é o horário de funcionamento dos refúgios. Eles são abertos em torno das 16:00 horas e são fechados por volta das 22:00. Pela manhã o peregrino tem que deixá-lo, em geral, até às 8:30, salvo motivo de força maior, como uma chuva muito forte, ou então quando alguém esta machucado. É também exigido silencio a uma determinada hora (entre 21:00 e 23:00 horas, em alguns casos).

Temos de estar atento em coordenar o horário do jantar com o do fechamento dos refúgios, pois os restaurantes começam a funcionar para o almoço a partir das 13:30 horas e para o jantar a partir das 20:30 horas. É difícil encontrar algum restaurante que tenha flexibilidade em atender fora destes limites.

A maioria dos refúgios possuem cozinha equipada, de forma que o peregrino tem a possibilidade de, chegando cedo, comprar gêneros alimentícios e preparar a sua comida. Isto é uma forma de baratear os custos do Caminho. Alguns inclusive possuem máquina de lavar roupas e secar.

Muitos dos refúgios cobram pela acolhida a quantia de, no máximo entre 2 a 4 euros. A grande maioria deixa por conta do peregrino o valor da contribuição.

As distâncias entre os albergues variam em aproximadamente no máximo em 20 km. Entre uma povoação e outra, 5 km. e em alguns casos isolados pode chegar 16 km. Já na região da Galicia, nos últimos 153 km da rota de Santiago, estes intervalos caem para um povoado a cada 1,5 km.

Sugerimos consultar os Capítulos "29 - Etapas do Caminho" e o "30 - Trajeto", para poderem programar as paradas de conformidade com o desejo e condições físicas de cada um, no capitulo "30 - Trajeto", encontra-se relacionada as facilidades existente ao longo do Caminho, bem como os telefones dos albergues.

Além dos albergues (refúgios), o peregrino tem como opção pernoitar nos Hostais e/ou Hotéis existente ao longo do Caminho, terá direito a um quarto com banheiro onde poderá descansar por um ou mais dias, não só para curar suas bolhas ou tendinite, como também além de descansar, efetuar um pouco de turismo na região. Existem hospedagens de todos os preços, variando a diária de 12 euros a 350 euros (nos Paradores existentes). Procure verificar nos Guias as suas localizações e os valores cobrados.

Mais uma vez esclarecemos: procure a Associação dos Amigos do Caminho de Santiago do seu estado ou uma próxima, elas estão apta a fornecer todas as informações de que o peregrino necessita, inclusive possuem uma listagem de todos os albergues, hostais e hotéis ao longo do Caminho

Saiba mais sobre hospedagem, na pagina Hospegagem
 

 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003