Relatos Peregrinos

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Sandra Azevedo
Hospital de Órbigo - 1


Hoje resolvi continuar com as minhas narrativas sobre o Caminho de Santiago de Compostela.

Havia pernoitado em Villadangos del Páramo. Pela manhã, ao sairmos, ficamos sabendo que haveria uma festa em Hospital de Órbigo, distante, apenas, 10 km. Era um sábado, dia 04 de junho de 2005 e tinhámos calculado pernoitar em Astorga. Porém ficamos sabendo desta festa turística que, anualmente, é celebrada no primeiro final de semana do mês de junho. Estaríamos passando por aí justamente no dia da festa e não poderia deixar passar esta oportunidade única. Assim que decidimos participar da festa.




Atravessamos uma magnífica ponte romana, chamada "Passo Honroso" que já estava nos preparativos para a grande festa, assim como toda a cidade.



Esta ponte, além da sua beleza, conta com o encanto da história a ela associada.

Dizem que no Ano Santo Compostelano de 1434, um jovem leonês, de família nobre, Don Suero de Quinones, deu permissão ao Rei de Castilla, Juan II, para a realização de um torneio nas margens do rio Órbigo. Pretendia convidar os melhores cavaleiros dos reinos espanhóis e a todos os cavaleiros europeus que pretendessem passar pela ponte durante os dias em que se celebrasse as justas, para disputarem o amor de uma dama: Dona Leonor. Cada manhã iniciavam as justas com uma Missa, para terminar pela noite com um banquete.Suero de Quinones venceu com sua lança a todos os cavaleiros que se apresentaram: espanhóis, franceses, italianos, alemães e portugueses. Em agradecimento pela vitórias nestas justas, peregrinou até Santiago. Vinte e quatro anos mais tarde, um dos rancorosos cavaleiros espanhóis, vencido no torneio, o matou traidoramente.

Então, anualmente é feita a reconstituição do fato histórico. Os habitantes da cidade colocam suas melhores vestimentas típicas da época para assistirem devotamente ao culto da Missa celebrada em latim, pontualmente às 12:30 hs. Os euros são trocados por umas notas simbolizando a moeda utilizada na época, para podermos adquirir qualquer tipo de artigo ou comida no mercado e assim desfrutar da animação que existe em todo o povoado.



Encontramos várias iguarias, artigos de prata, enfeites, flores, além de pintores participando do concurso de pintura. Mandei até escrever meu nome em árabe por um artista que fazia isto.



Enviado por Sandra Azevedo
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright © Todos os direitos reservados
 


;