Relatos Peregrinos

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Bia Brujita

Lágrimas e sorrisos, pedras e flores

A simplicidade daqueles lugares, tão longe da tecnologia moderna e tão perto do coração, tocavam-me de uma maneira maravilhosamente doce, parei, tirei a mochila e fiquei ali a sentir aquela vibração de calma e serenidade, como se estivesse gravando aquelas sensações dentro de mim, para quando delas precisasse...

Comecei a pensar na teoria da mudança do padrão mental, coisa que tantas vezes falei, mas, que naquele momento, eu parecia estar vivendo de uma maneira total e absoluta.

Comecei a pensar nos motivos que nos levam a sofrer... Em cada lágrima, em cada dor existe uma grande oportunidade de se fazer uma análise e perceber a causa da dor ter se instalado... "Como foi que ela conseguiu entrar em nosso coração? Será que de alguma maneira produzi oportunidade para que este estado negativo se instalasse em mim?" Por que naquele lugar tão cheio de beleza e calma, eu estava pensando em momentos de dor?

Os pensamentos vinham de uma maneira tão clara e definida, percebi que naquele instante alguma resposta estava sendo direcionada a mim:
- Mais uma das respostas do Caminho!

Cada vez que praticamos uma ação, certa ou errada, mobilizamos energias, provocamos interferência nos mecanismos da vida, alteramos ciclos, isso é uma escolha única e individual. E a vida responde a cada uma destas ações... em forma de alegria ou sofrimento

Resta-nos o "bem sofrer". Não a resignação calada, mas a certeza d que estamos crescendo através do sofrimento, que deve ser consciente e calmo; levando à possibilidade de acertos com nossos inimigos internos externos, através do esforço próprio e ajuda de outros planos de vida.

Percebi por que estava me envolvendo em pensamentos de tristeza, dentro de um quadro de beleza e paz tão natural... a tristeza fora acumulada em mim ao longo de um Caminho de desacertos e ignorância, agora eu percebia que ela aflorava... Mas uma mudança mínima de posição me levaria a luminosidade, a esperança... e naquele momento eu chorei.. molhei com minhas lágrimas o caderno onde fazia minhas anotações... Chorava pela alegria ter sentido em mim um momento de calma e serenidad que agora estava instalado dentro de minha alma, e que ficaria ali como uma reserva natural, era um porto onde poderia ancorar sempre que pudesse ou se fizesse necessário. Eu tinha um padrão mental pronto para ser usado! Era mais um "presente" que recebia de Santiago... Esta ligação com este padrão mental positivo seria para mim, como uma ponte entre os seres de luz e o meu coração.

Sentada ali, à beira do Caminho de Santiago, eu sentia a minha mente e o meu coração pacificados, e me sentia amparada num grande e generoso colo maternal de amor e tranqüilidade... Percebi que eu também fazia parte desta energia de paz .
 

Enviado por Bia Brujita
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright © Todos os direitos reservados
 


;