Relatos Peregrinos

Convide a um amigo a visitar este site
 
 

Adolfo Ornelas Moreira

Uma Vivência no Caminho de Santiago
A Separação e o Reencontro

Iniciei a caminhada, junto com meu irmão Ari, em San Jean Pied de Port. Após caminharmos juntos durante 258 quilômetros, chegamos em San Juan de Ortega. O meu joelho esquerdo já dava sinais que não ia agüentar muito. Fizemos uma refeição e em seguida, para minha surpresa, meu irmão virou-se para mim e disse:

- Daqui  em diante cada um faz o seu caminho.

Nos encontraremos em Santiago.

Naquele momento, me senti completamente órfão de pai e mãe e, porque não dizer, de irmão também. Pensei em desistir e abandonar o Caminho.

No dia seguinte, saí cedo, junto com Augusto, o gaúcho, que seria meu segundo irmão. Seguimos juntos durante alguns dias até chegarmos em Rabanal del Camino, a partir de onde iniciei a caminhada sozinho. Os primeiros cem passos foram extremamente indecisos, pois era a primeira vez que saia para caminhar só, somente eu e Deus.

No dia seguinte na saída de Ponferrada, senti uma forte emoção ao lembrar do meu irmão. Não tinha a menor idéia se estava atrás ou na frente. Logo adiante, deparei com uma placa fixada na parede com o desenho de dois peregrinos ao invés de um, como a maioria das placas no Caminho. Seria um sinal de reencontro com meu irmão? Pensei, mas preferi não acreditar. Continuei no Caminho até Cacabelos. Quando retornei ao albergue para o jantar, ouvi uma voz familiar. Era o meu irmão Ari que estava ali conversando com os outros peregrinos.

Meu pedido fora atendido! Dali em diante, andamos juntos os 190 quilômetros restantes até Santiago de Compostela.
 

Enviado por Adolfo Ornelas Moreira
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright © Todos os direitos reservados
 


;