Artigos Peregrinos

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
A Boa Mochila
Paulo Freire
A boa mochila de caminhada transfere o peso dos ombros para os quadris, aliviando o esforço sobre a musculatura dos ombros e do pescoço, e protegendo a coluna vertebral. A sua construção possui as seguintes características:

- estrutura das costas – internamente rígida, externamente com formato que dê bom apoio na musculatura das costas e forração especial, que proporcionem a circulação de ar entre as costas e a mochila;

- divisão interna por um diafragma regulável (que abre e fecha), e acesso à parte inferior, onde normalmente são guardados o saco de dormir, papete, roupa suja etc.,

- barrigueira - larga e acolchoada, com uma fivela grande e forte, devendo ser usada bem justa na região dos quadris, de modo a distribuir bem o peso da mochila; e

- tiras laterais – que permitem a compactação da mochila, em função do volume de material colocado no seu interior;

- alças - devem ser largas e alcochoadas, sair do centro das costas da mochila e possuir forração que contribua para uma boa ventilação na parte interna, que fica em contato com os ombros, sendo importantes, também, as seguintes regulagens:

 *  comprimento,

 *  ponto de fixação na estrutura das costas da mochila,

 *  tiras peitorais – que na altura do tórax interligam as alças dos ombros, mantendo-as na posição ótima, em função da largura e do formato dos ombros do peregrino,

 *  tiras de aproximação – acima dos ombros, que permitem trazer a mochila para junto do corpo, fazendo a mochila ficar colada às costas.
Enviado por Paulo Freire
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003