Artigos Peregrinos

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Perdas Necessárias
Bia Brujita
Sei fazer tricô...de uma maneira pouco técnica, porque só sei "ir e voltar" ( resultado das insistentes investidas da Dona Dica para me iniciar em "artes domésticas" ).... as blusas sempre são feitas com quatro retângulos, dois para as mangas e os outros dois para a frente a as costas.

Os modelos são limpos, e nem sempre ficam perfeitamente ajustados, às vezes fica grande demais ,outras fica pequena ( tem que mudar de dono)... mas sempre dá certo.

Um novelo de lã... macio... longo...

Um ato de magia: transformar quilômetros de lã, num agasalho...os pontos são feitos um por um, em voltas harmoniosas e sempre iguais... o contato com a maciez da lã, e a repetição do movimento fazem com que o trabalho se transforme em um mantra...

Cada fileira tecida está impregnada com a energia de quem tece... As vezes depois de tecer diversas fileiras, percebo que cometi um erro, tenho que desmanchar uma parte do trabalho, e recomeçar.

Quando o erro não é percebido, e o trabalho fica pronto, torna-se mais difícil consertar... porque desmanchar todo ao agasalho.... é como jogar fora tempo e energia...

- Está tudo pronto... porque vou desmanchar? Vou ter mais trabalho ainda...e se não der tempo de terminar antes do inverno? Estou trabalhando nisso há tanto tempo...acho que vou deixar assim mesmo... dúvida... temor... preguiça... acomodação...

Isso me faz pensar nas perdas que são necessárias ao nosso crescimento...

De que adianta, guardarmos situações, sentimentos... que de alguma maneira irão deixar a vida menos harmoniosa?

Medo? Apego? Insegurança?

Ao terminar o caminho de Santiago, ganhei uma grande certeza: posso fazer qualquer coisa...não existe o impossível para mim... existem algumas coisas que são difíceis de serem realizadas ou resolvidas... Mas sempre é possível executar uma tarefa com uma "perfeição satisfatória"... Porque eu terminei o Caminho de maneira "perfeitamente satisfatória", lá superei , ou cheguei perto dos meus limites mais profundos: físicos, emocionais , espirituais...

Certa vez, desmanchei o trabalho de quase dois meses... ( raramente tenho tempo para tricotar)... Mas o resultado foi maravilhoso... a blusa branquinha...fofinha...quentinha... aconchegante....

Os nós da lã, devem ser cuidadosamente entrelaçados para não prejudicar o resultado final... entrelaçar é compartilhar... é dividir... é unir harmoniosamente...

As ferramentas ( agulhas) devem ser proporcionais à textura da lã... e devem estar em perfeito estado de conservação.... agulhas tortas certamente devem ser trocadas, ou "desentortadas"... desentortar ou trocar...dói as vezes, mas é necessário.

Os erros cometido durante a confecção devem ser reparados, para isso "o estar atento" para que não seja preciso desmanchar muitas fileiras... E se for necessário que se desmanche todo o casaco, mesmo que o erro tenha sido percebido no inverno seguinte.

E quando o casaco aquece nosso corpo, e a energia impregnada aquece a alma..sentimos que valeu a pena a persistência... a coragem de voltar e resgatar a busca do "melhor"...

E nos invernos seguinte, seguramente cometeremos menos erros ao tricotar!
Enviado por Bia Brujita
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003