Artigos Peregrinos

Convide a um amigo a visitar este site
 
 
Para os cinqüentões e cinqüentonas
Bia Brujita

Para voce que estão preocupados com a idade,
vou mostrar um trecho do meu livro...
...............................................

Miguel mal podia caminhar, estava com uma bolha que cobria todo o seu
calcanhar. Pobrezinho, tão frágil e tão corajoso, mancando e
caminhando sem queixas, sempre, sempre com um lindo sorriso! Apesar
da persistência, estava no limite das suas forças. Sentou-se e não
conseguia caminhar. Sentei-me ao lado dele e ficamos silenciosamente
olhando para as montanhas, esperando que alguma coisa acontecesse.
Faltavam quatro quilômetros para chegar ao próximo "pueblo"... Mas a
certeza de que Santiago sempre providencia ajuda aquecia e acalentava
nossos corações.

Ouvimos um barulho... Um carro vinha em nossa direção. Era um carro
caindo aos pedaços, com cinco pessoas dentro. Pedi carona. Miguel se
espremeu no banco de trás e levou minha mochila.

Compartilhando lágrimas e sorrisos

Uma hora depois, cheguei ao albergue de El acebo!...

As instalações ficam no fundo de um restaurante. O chão de ladrilhos
claros, dava ao albergue um aspecto de limpeza. Escolhi um beliche
quase em frente a porta.

Fiquei sentada na cama conversando com Miguel e umas senhoras
francesas, que já estavam de banho tomado.

Uma delas, alta e forte, com cabelos brancos e rosto bondoso, tinha
85 anos de idade, estava fazendo o Caminho desde Paris... Quando ela
me disse isso levantei-me e a abracei. Senti por ela uma admiração
tão grande, e tenho certeza, jamais esquecerei aquele momento.

Desejei de todo coração, chegar à idade dela com a mesma jovialidade
e disposição.. E dentro de mim, tenho a certeza de que será assim...
Antes de tomar banho, preparei uma bacia com água e sal, e fiz com
que Miguel colocasse seus pés dentro dela. As senhoras francesas se
aproximaram e ficaram assustadas quando viram o tamanho da bolha.

Miguel chorava como uma criança... Cuidadosamente, banhei os pés
dele, drenei as bolhas com agulha e linha, enxuguei e fiz uma pequena
massagem. Apliquei um reiki em Miguel, que dormiu profundamente
alguns minutos depois.

Senti-me aliviada e grata após tomar o banho. Depois que fiz o
Caminho, a hora do banho se transformou numa cerimonia de
agradecimento ao universo!

Acordei Miguel e descemos para jantar. Eu tinha tanta fome, que
comeria um boi inteiro...

Pedimos o menu do peregrino à moda da casa. Era um prato enorme:
cozido de batatas, repolho, vagem e pimentão, dois pedaços de
lingüiça, e uma espécie de bola vermelha que tinha um aspecto muito
desagradável. Quando eu abri aquela bola vi que era carne cozida.
Pensei em não comer porque eram dez horas da noite, e talvez me
fizesse mal... Que nada! Com a fome que eu estava, aquilo ficou só no
pensamento. Comi tudo... Miguel também. Decidimos tomar mais vinho...

Ali, sentados, conversamos sobre nossas vidas. Eu contei a ele casos
da minha terra, ele contou-me da sua vida, das dificuldades e
preconceitos que sempre teve de enfrentar, rimos e choramos
juntos...Foi um momento de troca; sincero e fraterno, onde abrimos
nosso corações e fizemos uma catarse de nossas emoções e sentimentos.
...............................................

Nem idade, nem doença impedem que se faça o caminho.
Miguel terminou o caminho, era soropositivo...fez uma promessa...

Não se preocupem, idade é o menor problema.

Enviado por Bia Brujita
 
Parte integrante do site Caminho de Santiago de Compostela - O Portal Peregrino
Copyright  1996-2003